Canadá (XI)

A última etapa da jornada dos vikings pelo Oceano Atlântico foi a América do Norte. A Saga dos Groenlandeses e a Saga de Eric, o Vermelho, citavam que terras foram descobertas a oeste da Groenlândia. Nessas narrativas é informado que o navegador Bjarni Herfjulfsson em algum momento de 985 ou 986, navegava da Islândia para a Groenlândia, mas ventos ruins fizeram seu navio sair do rumo, ele e seus homens teriam seguido para além do previsto e avistaram terras com montanhas e verdejantes florestas.

Todavia, muitos anos teriam se passado desde esse avistamento até que Leif Ericsson, o filho mais velho de Eric, o Vermelho, decidiu fazer o caminho contrário citado por Bjarni Herfjulfsson. Tal viagem teria ocorrido por volta do ano 1000. De fato, Leif e seus homens avistaram as tais terras citadas e elas foram nomeadas de Helluland (terra das rochas), Markland (terra das florestas) e uma terceira localidade foi encontrada, sendo nomeada de Vinland (terra das vinhas).

No século XX as localidades mencionadas nas sagas foram identificadas como pertencentes a lugares da costa do Canadá. Dessa forma, historiadores apontam que Helluland poderia ser a Ilha de Baffin, Markland corresponderia a Labrador e Vinland seria a ilha de Newfoundland. No caso, dessas três terras encontradas pelos vikings, a mais famosa é Vinland devido a colônia ali situada, que foi descoberta no século XX a partir de escavações arqueológicas. Atualmente o sítio é chamado de L’Anse aux Meadows, que consistiu num pequeno assentamento que teria sido habitado por alguns anos.

Ainda segundo o relato das sagas citadas, Leif e seus homens após aportarem em Vinland, viram que a terra era boa e um assentamento poderia ali ser erguido, mas Leif e sua tripulação retornaram a Brattahild e ali ele sucedeu seu pai no comando da colônia groenlandesa. No seu lugar, seu irmão Thorvald voltou para Vinland, levando um pequeno grupo de colonos e morou ali por quase dois anos, quando foi morto num conflito com os indígenas.

O interessante é que antes do conflito ocorrer, os vikings fizeram contato com os indígenas, chamando-os de skraelingar (“selvagens”). O termo era usado de forma genérica e pejorativa para se referir as populações indígenas da América do Norte, com as quais os vikings tiveram contato.

Por conta da morte de Thorvald Ericsson, a colônia foi abandonada. Anos depois, por volta de 1010, Thorfinn Karlsini decidiu retomar a antiga colônia, habitando ali por três anos até que ele e os demais moradores foram expulsos pelos indígenas. Posteriormente uma última tentativa de assegurar aquele território, ocorreu. A filha de Eric, Freydis incentivou o marido a levar colonos para Vinland, ali permaneceram por cerca de um ano, mas desentendimentos internos e brigas com os nativos, levaram eles abandonarem a colônia.

Imagem: Leif Erickson descobre a América. Autor: Hans Dahl (1849-1937). Licença: CC0 1.0

Imagem: Thorvald Ericsson ferido pelos “homens vermelhos”. Autor: Henry Davenport Northrop (1901). Licença: Sem restrições de direitos autorais conhecidas.

Imagem: Mapa dos territórios avistados por Leif Ericsson na América do Norte. Autor: Finn Bjørklid. Licença: CC BY-SA 2.5

EXPLORE

INGLATERRA

(VIII)

EXPLORE

ESCÓCIA

(VIII)

EXPLORE

IRLANDA

(VIII)

EXPLORE

IMPÉRIO CAROLÍNGIO

(VIII)

EXPLORE

PORTUGAL E ESPANHA (IX)

EXPLORE

ILHAS FAROE (IX)

EXPLORE

ISLÂNDIA (IX)

EXPLORE

GROELÂNDIA (X)

EXPLORE

CANADÁ (XI)

Expansão

nórdica

MUSEUEXEA

Pesquisar, Preservar e Educar

Informações

Nº. SNIIC: SP-21484

CNPJ: 41.485.112/0001-67

Contatos

(83) 9638-1697

contato@museuexea.org

Av. Governador Argemiro de Figueiredo, n°210 - Sala 001 - 58.037-030 - CXPST: 192

© 2021 Por Museu Virtual Marítimo EXEA. Created on Editor X.

© Museu EXEA

Fique
Informado

Receba nosso boletim informativo semanal.

Obrigado pelo envio!

O Museu Marítimo EXEA é um museu sustentável, que se utiliza do mundo virtual para promover a salvaguarda do patrimônio cultural marítimo a partir do Extremo Oriental das Américas.

Contate-nos

Entre em contato conosco. Retornaremos com a maior brevidade. Bons ventos!

Obrigado pelo envio!