EXPOSIÇÃO VIRTUAL

Quando o mar trabalha

Por ahcravo gorim - António José Cravo   |   Sessão I

Sobre a exposição

Um barco parte da praia, no sentido do mar de fora. Ao longo do caminho vai liberando a rede; há um cardume a ser capturado. A embarcação, originalmente a remo, retorna à praia, onde com a ajuda de uma junta de bois, recolhe a rede e efetua a captura. Xávega é o nome desta tradicional arte de pesca portuguesa, que é traduzida com sensibilidade por António José Cravo através de fotografias e versos.

Introdução

Por ahcravo gorim - António José Cravo

Dentro das [sessões desta exposição] não vais encontrar “arte fotográfica” nem

“arte poética”, mas sim uma vida com muitas vidas, memória de muitas memórias.

As palavras nada mais são do que “falas” prováveis das imagens.

 

As imagens mais antigas são de 1972 e as mais recentes de finais da década de 90. A recolha continuou e, por isso, aqui encontras quase 30 anos de uma vida de 44 anos a

fotografar a Torreira.

 

Durante as semanas em que fui trabalhando [nestas fotografias e versos] conversei com as fotos, tratava-as pelo nome, revivi muito. Dentro das [sessões que agora irás visitar] há, neste momento, 41 amigos que já cá não estão - também falei com eles.

 

Na recolha das autorizações de publicação das imagens, cerca de uma semana, conversei com os próprios, com os descendentes ou sobreviventes (viúvas ou viúvos). Foram momentos que me fizeram sentir que valeu a pena ter passado tantos anos na Torreira a fotografar o trabalhar no mar.